Não Querem Deus!




Olá pessoal!
Estava numa análise sincera dos jovens de hoje em boa parte das igrejas e cheguei a uma triste visão: Não querem Deus!
Vou explicar, muitos buscam os "beneficios" que Deus pode proporcionar, as coisas que podem receber sem ter de se preocupar com algum fator principal. Compliquei né, calma lá.
Um exemplo prático, queremos bons salários e bons empregos, queremos a prosperidade, mas o fator principal disso é buscar o direcionamento de Deus quanto a cada porta de emprego que se abre, estudar, pedir a capacitação de Deus na qualificação profissional, se aperfeiçoar a cada dia sem se preocupar que isso é perca de tempo.
Fazemos correntes de oração, jejum e por ai vai em busca de algo, mas esquecemos e as vezes nem queremos o que Deus tem, ou seja, não queremos Deus.
Vou dar um outro exemplo, queremos "muito mais de Deus", queremos ser "Santos", ouvimos isso em inúmeras músicas, e batemos no peito ou coisas assim, mas o fator principal que é a intimidade com Deus, a vida de leitura e oração trocamos por horas com os amigos, com banalidades e nos acumulamos de tarefas muitas vezes desnecessárias apenas para deixar os 5 últimos minutos de nosso dia em uma oração de "misericórdia" quando vamos dormir.
Ousamos muitas vezes chamar Deus de pai, mas não somos filhos, pois afinal existem atribuições para filhos como: obediência, respeito, intimidade, afinidade, compreensão, submissão e muitas outras, após termos isso em totalidade em nosso relacionamento com Deus, podemos dizer que somos filhos, fora isso, apenas estamos nos enganando com um religiosismo barato e atrás de algo que Deus pode nos dar em sua infinita compaixão.
É triste ver hoje muitos jovens que utilizam da igreja, não para cultuar a Deus e com o propósito principal de adora-lo por sua benevolência, mas apenas como o ponto para encontrar os amigos e se programar para inúmeras atividade após os cultos, simplesmente formar elos de amizades onde se acredita que é incomparável com o mundo a fora, mas depois descobre que são apenas pessoas normais.
Por fim, demonstramos que não queremos Deus quando as coisas do mundo entram em nossas casas, em nossas playlist de músicas, em nossos guarda-roupas, em nosso falar, olhar e compartilhamos isso com as coisas que fazemos para Deus. "Não tem mal algum fazer isso", "Ninguém está vendo mesmo", "Não da nada","Quando eu vi já era", isso são apenas desculpas para uma infinita vida que demonstramos que não queremos Deus e sim o que ele pode nos proporcionar.

Em breve mais uma nova reflexão.

Fábio Santo
Deus é para todos!

Reações: