DOANDO SANGUE!!


Numa aldeia vietnamita, um orfanato dirigido por uma grupo de missionários foi atingido por um bombardeio. Os missionários e duas crianças tiveram morte imediata e as restantes ficaram gravemente feridas.
Entre elas, uma menina de oito anos ficou em estado grave. Foi necessário chamar ajuda por um rádio.
Depois de algum tempo, um médico e uma enfermeira da marinha dos EUA chegaram ao local. Teriam que agir rapidamente, senão a menina morreria devido aos traumatismos e a perda de sangue. Era preciso, urgentemente, fazer uma transfusão. Mas como? Após alguns testes rápidos com o próprio pessoal da equipe de socorro, puderam perceber que ninguém ali possuia o sangue preciso. Reuniram, então, o povo da aldeia e tentaram explicar o que estava acontecendo, gesticulando muito, arranhando o idioma, que era muito difícil para eles, queriam dizer que precisavam de um voluntário para doar sangue.
Depois de um silêncio sepulcral, viu-se um braco magrinho levantar-se timidamente. Era de um menino chamado Cheng. Ele foi preparado as pressas ao lado da menina agonizante e espetaram-lhe uma agulha na veia. Ele se mantinha quietinho e com o olhar fixo no teto. Passados alguns momentos, Cheng deixou escapar um soluco e tapou o rosto com a mão que estava livre. O médico perguntou a ele se estava doendo e ele disse que não. Mas não demorou muito a soluçar de novo, contendo as lágrimas. O médico ficou preocupado e voltou a lhe perguntar, e novamente ele negou. Os soluços ocasionais deram lugar a um choro silencioso, mas ininterrupto. Era evidente que alguma coisa estava errada. Foi então que apareceu uma
enfermeira vietnamita vinda de outra aldeia. O médico, então, pediu que ela procurasse saber o que estava acontecendo com Cheng. Com a voz meiga e doce, a enfermeira foi conversando com ele e explicando
algumas coisas, e o rostinho do menino foi se aliviando. Minutos depois, ele estava novamente tranquilo. A enfermeira então explicou aos americanos: - Ele pensou que ia morrer. Não tinha entendido direito o que vocês disseram e estava chorando achando que ia ter que doar todo o seu sangue para a menina não morrer. O médico se aproximou dele e com a ajuda da enfermeira perguntou: - Mas se era assim, porque então você se ofereceu para doar seu sangue ?
E o menino respondeu simplesmente: - Ela é minha amiga!!



(Jéeh Rosselli)
Reações: 


Quem digita mais rápido: Jesus ou o diabo?



Certa vez, o Diabo fez um desafio a Jesus:

- Aposto como digito muito mais rápido do que você….

O desafio foi aceito.

No dia marcado, Jesus de um lado com um XT/4.77 Mhz e o diabo com um
Pentium IV, rodando Windows XP, 512 Mb de memória etc.

Todos a postos.

O diabo estala os dedos, enquanto Jesus olha calmamente para o seu oponente. Inicia-se a competição. Aquele que digitasse mais texto em 30 minutos seria o vencedor.

O Diabo digita de maneira feroz a uma base de 900 toques/minuto. Do outro lado da sala, Jesus digita, usando apenas os dois dedos indicadores, no melhor estilo “Catador de milho de Jerusalém”. A platéia fica, obviamente, nervosa com a performance do Messias e rói as unhas… Quinze minutos se passam. O diabo já digitou cerca de 10 Mb de texto, sem erros, enquanto Jesus ainda está na casa dos 5 Kb.Os olhares se tornam mais nervosos. Vinte e cinco minutos passados, o diabo já anda pela casa dos 20 Mb de texto. E Jesus ainda pelos 8 Kb…

Vinte e nove minutos passados. De repente…. PUFFF!

Cai a luz… Desespero geral, pânico, gritaria.

Os juízes decidem terminar a competição pelo tamanho final do arquivo.

- Tamanho final do arquivo de Jesus: 10 Kb.
- Tamanho final do arquivo do diabo: 0 Kb

- Mas não pode ser! Grita o diabo. Isso é roubo, roubo!

Então, os juízes respondem:

- Você esqueceu de algo muito importante: Só Jesus SALVA!!!…






(Jéeh Rosselli)
Reações: