Reações: 


MAIS UMA VEZ....







"Deus poderá não nos dar uma
jornada fácil para a Terra Prometida,
mas nos dará uma jornada segura."


(Bonar)
Bom rumo ao AJ tenho que fazer as malas ainda...hehehe...mas eh isso mesmo Brito vamos preparar os nossos corações pro que Deus guardou este final de semana pra nós...
Volto domigo pra contar como foi...pra quem vai...respira...pra quem não vai pode dexa que eu respiro por você...hehehe...bricadeirinha gente...vo fica com saudades
UHUUULLLLLLL
Bjos****
(Tudo isso é pra você, SENHOR!!!!!)
(Bruna Yumi)
Reações: 


É hoje!

As espectativas são GRANDES!!!!, hoje a noite começa o maior evento de Jovens do ano,
o acampamento de Jovens, que tem como tema esse ano CONVOCADOS PARA BRILHAR
e prometer ser inesquecível.
Então você que ja está na espectativa, esteja sensível a ouvir a voz de Deus falar ao seu coração nesses 3 dias abençoados ,com certeza será um momento de reflexão e renovação espiritual!

(postado por Vinícius Brito)
Reações: 


" ...E haverá fomes e pestes..." (mateus 24:7)



925 milhões de famintos.


O número de famintos do mundo disparou e os avanços em cortar a baixa nutrição nos anos 1990 foram praticamente desperdiçados.Ontem, o diretor- geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, da sigla em inglês), Jacques Diouf, afirmou que o número de pessoas passando fome no planeta subiu de 850 milhões em 2006 para mais de 925 milhões neste ano. Se a atual tendência foi mantida, Diouf alerta que a meta de reduzir a fome pela metade apenas será alcançada em 150 anos.O motivo desse aumento de pessoas sem acesso a comida seria a alta nos preços dos alimentos que atingiu populações em várias partes do mundo. São 33 países na África, na Ásia e na América Latina incluídos na lista de locais em que a fome se transformou em uma crise.Nos últimos cinco anos, o preço médio dos alimentos no mercado internacional mais que dobrou.Apenas neste ano, a alta foi de mais de 50%.Entre 2005 e 2006, os preços subiram 12%. No ano seguinte, a alta foi de 24%.“O número de pessoas desnutridas antes da alta nos preços dos alimentos era de 850 milhões. Esse número aumentou durante o ano de 2007 em 75 milhões, atingindo 925 milhões”, alertou Diouf. O diretor da FAO fez o anúncio em um discurso no Parlamento italiano.O relator da ONU para o Direito à Alimentação, Olivier de Schutter, admite que os preços sofreram uma redução nos últimos dois meses. Mas destaca que os patamares vão permanecer elevados nos próximos anos. “A idéia de que os alimentos voltarão a ficar baratos não está em nosso radar”, afirmou.Para mais de 1 bilhão de pessoas no mundo que ganham menos de US$ 2 por dia, esse incremento significou problemas reais na compra de alimentos.Empresas do setor alimentício também foram obrigadas a remarcar seus preços para continuar lucrando.A maior empresa de alimentos do mundo, a Nestlé, foi obrigada a elevar os preços de quase 10 mil produtos que controla em mais de cem países.Isso diante da alta nos preços da soja, do milho, do cacau, do leite e de outros ingredientes.Para Diouf, US$ 30 bilhões terão de ser investidos por ano para dobrar a produção de alimentos e eliminar a fome. Segundo ele, esse volume de investimentos é “modesto” em comparação aos mais de US$ 100 bilhões gastos em subsídios no mundo por ano ou ao montante de US$ 1,3 trilhão para comprar armas anualmente.Em junho, líderes de todo o mundo se reuniram em Roma e voltaram a garantir que vão lutar para reduzir a fome pela metade até 2015, em comparação aos números de 2000.Os governantes ainda prometeram medidas urgentes e o Banco Mundial alertou que 100 milhões de novos pobres foram criados nos últimos meses diante da inflação.Segundo Diouf, porém, a meta de reduzir a fome pela metade teria de ser adiada para 2150 se o atual cenário fosse mantido.
Reações: